Alexey Khobot explica como a pandemia mudou o patrocínio no esporte

É muitoprov[avel que não exista um único setor que não tenha sido afetado pela pandemia

“Como corretores de apostas, enfrentamos uma redução acentuada na quantidade de apostas que podíamos oferecer devido ao cancelamento de eventos esportivos” - afirma Alexey Khobot, um especialista na indústria de apostas. Assim, as empresas de apostas não tiveram uma grande escolha Alexey Khobot destaca que a maioria das casas de apostas decidiu focar nos eSports e até organizaram seus próprios torneios de eSports.

O segundo desafio veio principalmente de uma perspectiva de marketing, pois os esportes foram interrompidos devido à pandemia. Para encontrar uma solução para este problema, Alexey Khobot sugere que olhemos para a prática global. De acordo com a European Sponsorship Association, 72% das marcas continuam buscando expandir os ativos de patrocínio. Isso mostra que o patrocínio esportivo continua sendo um canal de publicidade muito procurado.

Quanto às grandes parcerias das marcas com as Olimpíadas de Tóquio e Euro 2020, neste momento nenhum patrocinador desistiu do contrato que têm em vigor. Os organizadores mantiveram o ano “2020” no título de ambos os eventos, principalmente para economizar custos na produção de materiais promocionais e souvenirs.

Porém, nos setores mais afetados, como o turismo, algumas empresas desistiram de acordos de patrocínio. Existem casos semelhantes em contratos de patrocínio de muitas companhias aéreas.

Como as empresas reagiram ao que se tornou "adiantamento" devido à suspensão de várias competições?

Alexey Khobot explica que a maioria dos patrocinadores queria uma compensação em dinheiro, enquanto as entidades esportivas relevantes estão apenas interessadas em compensar a perda de opções de bônus escritas nos contratos.

Sugiro que um patrocinador escolha uma variante com opções adicionais para a próxima temporada e esportes de apoio. Em primeiro lugar, a empresa deve certificar-se de que o valor das opções adicionais excede o pagamento adiantado.

O que mudará no patrocínio esportivo como resultado da pandemia?

Sofia Machulsky, investidora em projetos de apostas, destaca duas mudanças principais nos contratos de patrocínio e sua ativação:

Em primeiro lugar, as empresas escreverão cuidadosamente casos de força maior e riscos nos contratos, bem como incluirão todas as opções na planilha de custos. Sofya Machulsky explica que um contrato de patrocínio muitas vezes é formado como um pacote completo por um único preço, onde é impossível separar individualmente o custo de minutos de LED, coberturas 3D ou naming rights. E se alguma dessas opções não puder ser implementada, os parceiros avançarão para uma nova rodada de negociações. Acho que as marcas agora estruturarão o custo detalhado com antecedência.

Em segundo lugar, já estamos vendo uma mudança drástica no foco para ativações sociais e digitais. O período de suspensão do esporte mostrou a ambos os lados que dependemos demais da mídia física, como placas e painéis publicitários. Sofya Machulsky admite que é importante para os patrocinadores trabalharem com CRM, bases de fãs, conteúdo colaborativo e engajamento do público.

As empresas que adotarem essa estratégia não terão problemas com os direitos de patrocínio caso o esporte seja novamente suspenso dessa forma.

Se você quiser reviver a experiência digital do SiGMA, acesse nossos canais do youtube – SIGMA – WORLD’S IGAMING FESTIVALAIBC SUMMIT!

Related Posts